4 de nov de 2010

Ministro indiano culpa Harry Potter por queda no número de corujas


Muitos pais indianos procuram corujas para dar para os filhos


O ministro do Meio Ambiente da Índia, Jairam Ramesh, responsabilizou os fãs dos livros da série Harry Potter pela diminuição da população indiana de corujas, um animal ameaçado no país.

Ramesh afirmou que os livros e filmes com a história do menino mago e sua coruja de estimação e mensageira, Hedwig, são populares na Índia e contribuíram com a redução do número de animais na natureza porque muitos querem comprar as aves de comerciantes ilegais.

"Depois de Harry Potter, parece que há uma estranha fascinação, mesmo na classe média urbana, por presentear os filhos com corujas", disse.

A Bloomsbury, editora dos livros da série Harry Potter em inglês, não comentou as afirmações do ministro indiano.

Festa temática

Ramesh fez o comentário no lançamento de um relatório sobre a população de corujas na Índia, elaborado pelo grupo de defesa do meio ambiente Traffic.

No documento, o grupo pede medidas mais duras para proteger as corujas, principalmente antes do Diwali, o festival religioso hindu que é celebrado nesta sexta-feira. De acordo com o relatório, milhares de corujas são sacrificadas, seguindo a tradição do país, em datas "auspiciosas".

O autor do relatório, Abrar Ahmed, escreveu que decidiu investigar o comércio de corujas depois que um amigo pediu a ele para ajudar na busca por uma coruja branca, viva, para a festa de aniversário de seu filho de dez anos, cujo tema seria a série Harry Potter.

"Este foi, provavelmente, o pedido mais estranho que já recebi", escreveu Ahmed.

A pesquisa de Ahmed descobriu um número cada vez maior de corujas capturadas, compradas ou mortas em rituais de magia negra.

De acordo com o relatório da Traffic, metade das 30 espécies de corujas da Índia podem ser encontradas à venda em mercados. Outras são mortas para fins medicinais.

"O sacrifício de corujas em datas auspiciosas parece ser uma prática regular e é possível (que haja) um aumento no comércio e nos sacrifícios durante o Diwali", afirma o documento.

'Superstição'
O festival de Diwali é um dos principais eventos do calendário hindu, que também é celebrado pelos sikhs. O festival comemora o triunfo do bem contra o mal.

"O Diwali deveria ser um momento de celebração em todo nosso país, e não um momento em que nossa vida selvagem é saqueada para alimentar uma superstição ignorante", afirmou o ministro Jairam Ramesh.

O ministro disse ainda que a vida selvagem da Índia "já sofre muitas pressões" e acrescentou que as corujas são "tão importantes para nosso ecossistema quanto os tigres".

"É importante que a ameaça a elas durante o Diwali seja mostrada e que ações concretas sejam tomadas para impedir estas atividades", afirmou.

Além do apoio do ministro do Meio Ambiente, o relatório da Traffic também conta o apoio da ONG WWF na Índia e da União Internacional para a Conservação da Natureza.

O documento afirma que um dos "principais estímulos do comércio clandestino de corujas" é a "magia negra e feitiçaria, motivadas pela superstição".

De acordo com o relatório, o problema só poderá ser enfrentado com a aplicação das leis e um maior conhecimento do papel "benéfico e vital das corujas no ecossistema", especialmente o benefício que elas trazem para fazendeiros, pelo fato de ser predadores de "roedores e outras pestes das lavouras".

Fonte:BBC Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nada de palavrões,insultos e qualquer outra coisa que você não falaria para sua mãe.