18 de dez de 2010

O valor da Amazônia

A pesquisadora brasileira Rosimeiry Portela - que foi orientada pelo econeconomista Robert Costanza no seu doutorado – publicou, junto com o pesquisador Timothy J. Killeen, um estudo com novos dados sobre os serviços ambientais fornecidos pela Floresta Amazônica


 
 
Eis o número mais impactante do estudo dos pesquisadores Rosimeiry Portela e Timothy J. Killeen: 1.5 a 3 trilhões de dólares. Esse é o valor estimado dos serviços globais prestados pela floresta para estocar e sequestrar carbono que gera o beneficio de regular o clima no planeta. Se liberado na atmosfera, esse carbono seria equivalente a cerca de 20 anos de consumo de combustíveis fósseis. O cálculo é feito com base no valor de US$ 5 a 10 por tonelada de CO2 no mercado internacional.


Os pesquisadores alertam, no entanto, que esse valor não é realístico porque o mercado de carbono não reconhece a conservação da floresta em pé como uma forma de mitigação de emissão de carbono. Mas isso mudará se for adotado o mecanismo de REDD+ 9, a alternativa para Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação Florestal que será mais discutida na próxima COP16 – Cúpula do Clima promovida pela ONU, em Cancún, de 29 de novembro a 10 de dezembro.



Especialistas calculam que esse mecanismo pode demorar até uma década para ser implementado, mas pode mudar o panorama dos serviços ambientais por propor compensações financeiras aos proprietários de florestas naturais que se prontifiquem a proteger as suas matas.



“O desmatamento anual de cerca de 28 mil km2/ano na Amazônia, por exemplo, se traduz em cerca de 1.3Gt. das emissões anuais de CO2, que pode ser avaliado em aproximadamente US $ 6,5 - $ 13 bilhões/ ano”, explica Rosimeiry Portela avaliando as possibilidades do mercado do desmatamento evitado.

 
 
 
 
Maria Zulmira de Souza



Planeta Sustentável – 29/11/2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nada de palavrões,insultos e qualquer outra coisa que você não falaria para sua mãe.