25 de out de 2011

Um salto para a vitória

52% das empresas no Brasil têm área de sustentabilidade
Pesquisa realizada para marcar o lançamento do Ibope Ambiental – nova unidade do Ibope dedicada a assuntos de meio ambiente –, aponta que mais da metade das empresas brasileiras já possuem áreas de sustentabilidade estruturadas, sobretudo para atender às exigências do consumidor


O Grupo Ibope, especializado em pesquisa de mercado, lançou ontem, 20/10, uma nova unidade voltada exclusivamente para assuntos de meio ambiente, o Ibope Ambiental*, para fornecer à sociedade, em geral, serviços e informações que ajudem na promoção do desenvolvimento sustentável do país e, também, no combate ao aquecimento global.

Para marcar o lançamento da nova empresa, em cerimônia especial, Márcia Cavallari, CEO do Ibope Inteligência, apresentou pesquisa inédita, realizada pela instituição, para avaliar o comprometimento das empresas nacionais - e, também, das multinacionais que atuam no Brasil - com sustentabilidade. O estudo apresentou resultados positivos: mais da metade das companhias entrevistadas, que têm negócios no país, já possuem uma área de sustentabilidade estruturada, com a intenção de implantar práticas e políticas socioambientais.

"É uma boa notícia, se levarmos em conta que há 20 anos, na época da Eco92, quando foram feitas as primeiras pesquisas sobre o tema, o homem não era nem considerado parte do meio ambiente e pensava-se, apenas, em florestas, bem distantes de nós", disse Cavallari. "Hoje, a consciência ambiental do brasileiro está muito maior e, sobretudo, nas empresas é mais fácil colocá-la em prática por conta da cobrança do consumidor".

De fato, a pesquisa do Ibope Inteligência apontou que 57% das empresas que já trabalham com sustentabilidade estão localizadas na região Sudeste e cerca de 40% pertencem aos setores da indústria e construção civil, em que a cobrança do consumidor a respeito de práticas socioambientais é maior. "82% dos clientes do ramo da construção civil cobram de seus fornecedores informações a respeito de seu comprometimento com o tema. Este é o setor que possui os consumidores mais conscientes", contou Cavallari.

A especialista acredita que a conduta dos cidadãos influencia diretamente na postura das empresas. "Aproximadamente, 70% dos clientes das empresas queinseriram uma área de sustentabilidade em sua estrutura cobram informações sobre seu engajamento", afirmou.

Já na região Nordeste do país, estão localizadas as empresas que possuem menos comprometimento. De acordo com a pesquisa, 7% das companhias entrevistadas pelo Ibope não possuem nenhuma ação ou política de sustentabilidade e a maioria delas se encontra em território nordestino. "Paradoxalmente, é a região que possui maior consciência a respeito da importância da certificação sustentável nas empresas. 51% dos entrevistados que afirmaram estar cientes do valor dessa prática atuam no Nordeste", complementou Cavallari.

INVESTIMENTOS EM SUSTENTABILIDADE A pesquisa do Ibope apontou, ainda, que o faturamento médio das empresas destinado a ações e políticas de sustentabilidade é de 3%. "Pode parecer um valor pequeno, em um primeiro momento, mas se levarmos em conta que estamos falando de grandes e médias empresas, que faturam grandes montantes de dinheiro anualmente, é uma quantia razoável", opinou Cavallari.

Eduardo Jorge, secretário do Verde e do Meio Ambiente da cidade da São Paulo, também presente no evento de lançamento do Ibope Ambiental, concorda: "3% é um número bom, se levarmos em conta que, no setor público, 0,4% do orçamento é destinado a órgãos ambientais. Na verdade, o mais importante é que ações e políticas implantadas graças a esse investimento de 3% conversem com 100% da empresa, para que as práticas socioambientais sejam cada vez mais replicadas e incorporadas por outros setores".

O secretário ainda aproveitou a oportunidade para elogiar a criação do novo núcleo do Ibope Ambiental. "A transformação só acontece com a mudança de atitude e levar a toda a sociedade - da dona de casa ao empresário -, informações a respeito de sustentabilidade, com certeza, acelerará essa mudança de postura. Mostrar evidências é importantíssimo para dar uma chacoalhada nas pessoas", disse Eduardo Jorge.

A pesquisa apresentada entrevistou 400 grandes e médias empresas, de diversos setores do Brasil, entre agosto e setembro deste ano e em breve estará disponível, na íntegra, no portal da instituição.

*Ibope Ambiental


Débora Spitzcovsky
Planeta Sustentável - 20/10/2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nada de palavrões,insultos e qualquer outra coisa que você não falaria para sua mãe.