5 de dez de 2010

Egito captura tubarão responsável por ataques a turistas

Mônica Nunes/Débora Spitzcovsky

Planeta Sustentável - 03/12/2010









Em uma tentativa de tranquilizar os visitantes da cidade turística de Sharm el Sheij, no Egito, o Ministério do Meio Ambiente capturou o tubarão suspeito de ter atacado quatro turistas nos últimos dias. Agora, o futuro do animal é incerto e ele corre o risco de ser morto para dissecação



Uma sensação de medo tomou conta da cidade turística de Sharm el-Sheikh, no Egito: a região – que é visitada por gente de todo o mundo interessada em mergulhar nas águas do Mar Vermelho – foi cenário de quatro ataques de tubarão a turistas, desde a última terça-feira, dia 30 de novembro.




De acordo com o Ministério do Meio Ambiente do Egito, as vítimas foram atacadas pelo tubarão-galha branco oceânico, que não vive em águas rasas e nem caça grandes objetos, como um ser humano. Para os especialistas, o bicho deve ter sido atraído até o local por navios pesqueiros que estão jogando carne de carneiro no mar para atrair peixes.



Com medo de novos ataques, o governo proibiu os banhos de mar na região e diversos turistas começaram a cancelar suas reservas nos hotéis de Sharm el-Sheikh. Para evitar que a cidade perca a fama de “paraíso turístico”, o Ministério mobilizou ontem, 2 de dezembro, uma equipe de 12 especialistas em biologia marinha para encontrar o tubarão, que, supostamente, foi responsável pelos ataques.


O grupo rastreou toda a área costeira onde os incidentes aconteceram e, no mesmo dia, afirmou ter capturado o animal, com a ajuda de pescadores da região. Em seguida, mergulhadores locais garantiram que o tubarão capturado não era o responsável pelos ataques e o grupo de especialistas, então, prendeu um novo animal da espécie. Esse, segundo o ministro egípcio do Meio Ambiente, Maged George, tem características físicas que batem com a descrição feita pelos mergulhadores que tiraram os turistas atacados do mar.



“Eu duvido que o tubarão capturado seja o responsável pelos incidentes. E, se for, duvido que tenha atacado os quatro turistas”, disse o biólogo marinho e conselheiro da National Geographic, Otto Gadig, que ainda completou: “Um mesmo tubarão ser responsável por quatro ataques em, apenas, dois dias foge completamente das características dessa espécie. Seria um desvio total de comportamento”.



O fato é que os animais foram capturados e, agora, há divergências a respeito do futuro dos tubarões. Segundo a Reuters africana e os jornais locais, o bicho responsabilizado pelos ataques será dissecado, para que descubram o que tem dentro do seu estômago, e posteriormente embalsamado e levado para o museu da reserva natural Ras Mohamed. “Isso é uma babaquice, um procedimento arcaico. Se acham que o problema são os navios pesqueiros, então tirem eles de lá. O Ministério admitiu que atacar humanos nessa região não é um comportamento típico do tubarão-galha branco oceânico. Então, se foi um acidente casual, por que não soltá-lo em mar aberto para que viva a vida dele em paz?”, disse Gadig.



Já o primeiro tubarão capturado, que foi “inocentado das acusações”, será encaminhado para um parque nacional marinho e, depois, solto em mar aberto, de acordo com a BBC Internacional. “Ele deve ser devolvido rapidamente ao seu habitat natural. Não existe nenhum registro no mundo de tubarões-galha brancos oceânicos que vivam bem em cativeiro”, alertou Gadig.


Fonte:Planeta Sustentável

3 comentários:

  1. seguindo vc tambm =]

    http://inconsequentte.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. estou te seguindo tbm[2] Do blog http://oventolevoou.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. oieeeee... Bruna já tenho uma nova novidade sustentavel no blog vai lá.... Bjo

    http://sustentaveisatitudes.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Nada de palavrões,insultos e qualquer outra coisa que você não falaria para sua mãe.